segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ESPECIAL DO LIVRO " UBATUBA, ESPAÇO, MEMORIA E CULTURA " - PARTE 118






O projeto para a re-construção da cidade de Ubatuba parte do pressuposto dessa justaposição e superposição de múltiplos discursos que dão conta do acontecer cívico do município, no qual os distintos grupos sociais vão se apropriando dos espaços físicos e simbólicos.

Ante a desterritorialização dos espaços étnicos urbanos, com seus lugares e suas instituições simbólicas, as noções de “dentro” e “fora” adquirem grandes significados em relação ao território de origem. Esta re-territorialização confere o novo sentido ao território urbano, ao privado da família ou da tribo, a reciprocidade e o apoio mútuo que Ante a desterritorialização dos espaços étnicos urbanos, com seus lugares e suas instituições simbólicas, as noções de “dentro” e “fora” adquirem grandes significados em relação ao território de origem. Esta re-territorialização confere o novo sentido ao território urbano, ao privado da família ou da tribo, a reciprocidade e o apoio mútuo que estabelecem vínculos mais poderosos. É, nesta micro sociedade que Ubatuba pode recuperar os laços fraturados do individualismo pós –moderno.





A construção de conhecimento é a consigna para criar um lugar estratégico de crítica que a TV ocupa na dinâmica da cultura cotidiana ubatubense; produzindo uma transformação das sensibilidades e nos modos de construir imaginários e identidades. A introjeção dos códigos e normativas das mensagens televisivas – desenhos animados por exemplo – implicam a caricaturização ou esteriotipação das condutas e instauração da violência como forma de diversão e interação, com a conseqüente suspensão da reflexão crítica.

As mutantes cenografias que aparecem nos caleidoscópios da mídia mudam a cada momento as matrizes da cultura. Cabe à universidade indagar a respeito da racionalidade expressivo – simbólica do multiculturalismo de uma cidade como Ubatuba.

A missão da universidade , como referenciamos no início deste item ,consiste em fazer surgir o espírito humano e reivindicar o ser no espaço cultural. Tal reivindicação só se legitima na medida em que se dê o confronto com a realidade, aquilo que permite ao espírito realizar suas virtualidades últimas.

Após ter percorrido os pressupostos do espaço, da memória e da cultura de Ubatuba, chegamos ao momento final de nossas considerações. O intuito desta obra se pautou o tempo todo pela pesquisa científica, amparada no âmbito da pós-graduação, mais especificamente no Grupo de Pesquisa Cultura Midiática e Turismo da Universidade Paulista, reconhecido pelo CNPq e em um Projeto de Iniciação Científica da Universidade de Taubaté – UNITAU.

Texto extraído do Livro " Ubatuba, espaço, memória e cultura"...........
De Jorge Otavio Fonseca e Juan Drouguet......Continua c/ a publicação da pagina 352 em diante.....

Nenhum comentário: