terça-feira, 30 de agosto de 2011

FALA CAIÇARA NENE VELOSO..Parte 14/15......Eleição de 1963 - Francisco Matarazzo Sobrinho versus João Coutinho





Prefeito Municipal de Ubatuba -SP - de 1964 - 1969

O Dr. Wladimir de Toledo Piza foi o responsável pela candidatura de Francisco Matarazzo Sobrinho a Prefeito de Ubatuba e, o principal articulador político. O partido escolhido foi o PSP, do Governador Dr. Adhemar Pereira de Barros, do qual recebeu apoio total. O vice foi o Dr. Altivo Simonetti (o dentista caiçara da gema e do centro) que já tinha sido prefeito da cidade em 1941 (voto indireto) e vice em 1959 (voto direto). Matarazzo usou como slogan de campanha, 40 em 4. Ou seja: 40 anos de progresso, em 4 anos de administração. Que na verdade governou 5 anos.






Durante três anos, o prefeito ficou amarrado pela intransigência dos vereadores (briga mesmo). Mesmo assim, dos 40 anos de progresso que prometera fazer em 4 anos de administração, acabou fazendo em 2. Washington de Oliveira (Seu Filhinho), ainda inconformado com as derrotas, se candidata novamente para o pleito de 1963, mas, desta vez, como candidato a vereador na chapa de Matarazzo e, com os votos dos engravatados, conseguiu se eleger pela primeira e única vez. Como diz o ditado: “Gato escaldado tem medo de água fria.”
Fato engraçado
A partir do nº 78 da rua Jordão Homem da Costa até a esquina da rua Baltazar Fortes havia mais ou menos 50 metros de muro, onde estava escrito um letreiro com letras góticas já meio desbotado, que dizia: - “IRMÃOS 5 LUIZ JOSÉ”, ninguém sabia dizer quem escreveu ou o que significava. E o candidato João Coutinho, mandou apagar o antigo letreiro, para escrever o seu slogan de campanha: - “VOTE EM JOÃO COUTINHO PARA PREFEITO - A FORÇA DE UM TOSTÃO CONTRA UM MILHÃO - CHEGOU A VEZ DOS POBRES”! O pessoal do Matarazzo, vendo que tinha sobrado um bom espaço no muro, durante a madrugada completaram a frase - POBRE NÃO TEM VEZ!
No dia seguinte, quando o pessoal de João Coutinho viu, ficou furioso, e daí, desencadeou-se uma guerra de pichações, e o pior veio depois, agüentar as gozações. Foi responsabilizado, como o autor da façanha, o caiçara Zé Caixa D’água que, dando muita risada, negou tudo. Agora o suposto autor já morreu e, até hoje, ninguém sabe quem escreveu.
Clique aqui para acessar a listagem dos textos (já publicados) da série Construindo o passado II.

Nota do Editor: Francisco Velloso Neto, é nativo de Ubatuba. E, seus ancestrais datam desde a fundação da cidade. Publicado no Almanak da Provícia de São Paulo para o ano de 1873. Envie e-mail parathecaliforniakid61@hotmail.com.

Um comentário:

Augusto Soares disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.