quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Livro Ubatuba , espaço memória e cultura " - 9 ª Parte

10. PRAIAS DA CAÇANDÓCA E CAÇANDOQUINHA

Localização

A praia da Caçandoca e a Caçandoquinha localizam-se ao sul, a 30 km do centro de Ubatuba. Geograficamente, Caçandoca está entre a Caçandoquinha e a praia do Pulso, e a Caçandoquinha entre a praia da Raposa e Caçandoca.

Acesso

O acesso de carro às praias da Caçandoca e Caçandoquinha é pela rodovia Rio – Santos, exatamente no Km 78 da Br 101. Uma estrada, a partir da rodovia principal de 3 km de percurso, leva à Caçandoca, onde ao lado direito dessa, por uma trilha curta, chega-se à praia da Caçandoquinha. O acesso de ônibus para ambas é pela rodovia, por meio da empresa Atlântico que faz a linha Ubatuba–Caraguatatuba– Ubatuba. O ônibus não entra pela estrada de terra até a praia, e o restante do caminho tem que ser feito a pé.

Visão

Tanto Caçandoca como Caçandoquinha são praias com uma vegetação variada da Mata Atlântica, e suas águas, são de um azul intenso, com poucas ondas. Na Caçandoquinha há areia monazítica, ideal para tratamento medicinal. Laranjeiras, coqueiros, amendoeiras, caraguatás fazem atraem arapongas, baitacas, periquitos, sabiás, tucanos e pica-paus.

Como tantas outras praias de Ubatuba, Caçandoca e Caçandoquinha guardam, além da beleza natural e exuberante, histórias dos negros quilombolas de Ubatuba. Caçandoca e Caçandoquinha abrigam famílias, moradores que são descendentes dos quilombolas. A colonização desse trecho foi feita por José Antonio de Sá, que tinha o monopólio de Caçandoca em 1881. As terras foram deixadas, depois, como herança a seus filhos.

Caçandoca e Caçandoquinha não têm infra-estrutura turística, e o visitante deve encontrar pousadas e hotéis nas praias próximas.

Demanda Turística


As duas praias são procuradas por excursionistas e adeptos de aventuras, instigados pelas belezas naturais da paisagem que desafia. O longo caminho de terra até suas areias e as trilhas fabulosas e históricas, longe do movimento de multidão, impressiona o turista que acha neste recanto da natureza selvagem um saudosismo de origem africano que paira por essas redondezas.



ITINERÁRIO DO OLHAR

1. A PRAIA DO BONETE

Localização


A praia do Bonete está localizada a 31 quilômetros ao sul do centro de Ubatuba, e é também conhecida como “Bonetinho”, em relação à Praia Grande do Bonete que fica a 33 quilômetros do centro urbano. Ambas as praias são vizinhas da Lagoinha e da Fortaleza.

Acesso

O acesso à praia do Bonete e do Bonete grande pode ser feito por trilhas ou de barco. É possível ir de carro até o condomínio da praia da Lagoinha e seguir a pé por uma trilha, ou também pela praia da Fortaleza, trilha de 30 minutos de subida íngreme de um morro. Há barcos que saem da praia da Lagoinha e levam turistas para qualquer uma dessas praias.

Olhar

A praia do Bonete é de uso público, e conservada por um caseiro, responsável pela limpeza da mata ao redor da casa, e nas imediações da trilha de acesso. A areia é semi-branca e de granulométrica média. A água do mar é semiturva e esverdeada, com vegetação considerável de abricoteiros – este tipo de árvore se apresenta em quase toda a extensão litorânea de Ubatuba, e o fruto, é uma espécie de pêssego menor que um damasco. É interessante notar a semelhança do nome dessa fruta com o termo apricot, que significa damasco, em francês.

O Bonete apresenta mar de tombo. Não existem degradações nem impactos visíveis na praia, pelo fato de o acesso ser restrito, tornando-a um local singular e selvagem.

A praia não tem infra–estrutura de hospedagem e a alimentação é restrita a um pequeno bar improvisado. Não há visitas guiadas no lugar nem se paga taxa de visitação. Ela é propícia para excursionistas que a visitam de preferência nos meses de janeiro, fevereiro, novembro e dezembro.

O Bonete foi um local que serviu de moradia para os escravos das fazendas da região. Uma vez por ano esses escravos se juntavam aos moradores da remanescente quilombada da Caçandoca para festejar e realizar manifestações populares de caráter religioso. A atividade enconômica principal da região é a pesca.

Em contrapartida a este recanto do Bonete, existe a praia grande do Bonete, que também apresenta uma bela paisagem de dois quilômetros de extensão da orla marítima. Existem alguns bares na região central e uma porção de casas de veraneio, mas nehum hotel, nem restaurante, nem mesmo áreas de camping, atividade proibida, mas praticada com certa frequência. Existe um pequeno vilarejo de pescadores na localidade.

O local possui alguns bares que, durante a alta temporada funcionam no periodo noturno, com alguns atrativos, como música ao vivo. A praia grande do Bonete é considerada uma praia de tombo, com areia semibranca e de granulometria média, pedras médias e grandes na parte lateral da descida da trilha. O mar e a vegetação têm as mesmas características que as de sua irmã menor, um convite ao deleite dos sentidos, principalmente do olhar.

Na praia grande do Bonete levam-se a efeito duas celebrações consideradas manifestações populares, ambas de caráter religioso. A primeira delas, Festa de São Sebastião, é organizada por moradores e o padre da igreja de Maranduba, que vai esporadicamente até o local para a celebração da missa. Essa comemoração começa na praia com uma corrida de canoas: primeiro os homens, depois as mulheres, com percurso desde a praia grande do Bonete até a plantação de mariscos na praia do Bonetinho. Após a competição, há uma procissão na qual São sebastião é levado em uma grade canoa enfeitada com fitas multicoloridas. Logo após a procissão, todos se reúnem na igreja para celebração da missa, seguida por uma festa, que dura todo um dia.

Outra festividade religiosa é a de Santana, que acontece em 25 de julho, e tem a mesma programação.

Demanda turística

Os visitantes da praia do Bonete são, em sua maioria, provenientes de São Paulo, Caraguatatuba e arredores. Praia afastada, não registra o chamado turismo de massa, e por isso há pouca infra-estrutura para turistas.



Continua....Próxima atualização - 15/01/2008

2 comentários:

valdirene disse...

Meu nome é Valdirene Aparecida dos Santos,sou filha de pescadores da Praia Grande do Bonete.
Minha mãe era Celina Rosendo dos Santos e Maurício Jose dos Santos,ambos filhos de pescadores e moradores da praia Grande.
Fiquei muito feliz em saber que a praia onde meus pais nasceram não ficou em anonimato.Para quem a conhece sabe que aquele lugar é maravilhoso,parece um paraiso.

Fernanda disse...

Gosto muito do Bonete e achei mto boas as informações.
Queria falar pra Valdirene:vc teria contato de alguém pra poder alugar casa p fim de semana no Bonete?