quarta-feira, 5 de setembro de 2007

ECOLOGIA : Grupo da náutica aponta rigor ambiental como entrave para o desenvolvimento do setor

O grupo de trabalho da área náutica do Conselho Municipal de Turismo, que está auxiliando a Prefeitura de Ubatuba na elaboração do Plano Municipal de Turismo, apontou, o rigor das determinações ambientais e a histórica falta de apoio do executivo municipal, como os principais macro-problemas que atingem a náutica e todo o turismo ubatubense.Justamente para tentar sanar o segundo item levantado pelo grupo, que a prefeitura atual vem realizando reuniões para construir um plano municipal de turismo e também para colher informações e sugestões que possam contribuir para a formatação da nova Lei de Uso e Ocupação do Solo da cidade, que está em discussão pública e tem até o dia 31 de outubro para ser enviada à Câmara dos Vereadores.Pelo curto prazo de tempo, a vontade do GT-Náutica ( Grupo de Traballho) é realizar um diagnóstico do setor e, com base nos dados recolhidos, já gerar um documento legal, que possa ser inserido nos debates da nova L.U.O.S.O encontro entre o grupo e a Prefeitura teve a presença do Secretário de Turismo de Ubatuba, Luis Felipe Bacellar, que ressaltou a importância dos avanços junto a sociedade civil.“O turismo na nossa cidade nunca foi organizado. Só a partir de 2005 que conseguimos também ter um orçamento maior para o setor, que agora é considerado no Plano Diretor Municipal, como principal vertente de desenvolvimento econômico. Portanto, conhecer a realidade do empresariado é essencial, para inclusive, um melhor apoio do poder público”, completa o secretário Luis Felipe, prometendo total empenho da pasta e da Prefeitura, no sentido de uma atenção maior ao setor.Quanto ao rigor da legislação ambiental, o coordenador do Grupo de Trabalho de Náutica, Gilmar Carvalho, acredita que, a determinação de áreas específicas para o setor turístico e o bom senso dos órgãos ambientais licenciadores, poderiam garantir o desenvolvimento sustentável da região.“É possível e existe tecnologia para se criar uma base operacional de respectivo marítimo, (Garagens náuticas, marinas, rampas, apoios, etc...) sem degradar o meio ambiente e atendendo as necessidades do nosso principal foco socioeconômico, o turismo”, completa o coordenador do GT- Náutica, Gilmar Carvalho.Cruzeiros Marítimos - Comprovando a idéia do empresário, a Secretaria Municipal do turismo, começará, ainda neste mês, a reforma do Píer do Itaguá (Caizão) e consequentemente a instalação de uma balsa flutuante, que irão formar uma base de recepção para turistas de Cruzeiros Marítimos.Segundo o secretário Luis Felipe, a empresa Island Escape já confirmou atracagem em Ubatuba, no dia 10 de janeiro do ano que vem.“Será como uma viagem teste e precisamos oferecer toda nossa capacidade de atendimento e, quem sabe, até mesmo no ano que vem, outras empresas possam mandar navios para a cidade”, completa o secretário de turismo, lembrando que os pontos tradicionais de parada no Brasil e na região, estão cada vez mais lotados, pois o setor de viagens trasantlânticas já cresceu mais de 1000% (mil) desde o ano 2000 e o número de barcos que opera na costa brasileira também vem aumentando de forma significativa. (Fonte: Imprensa Livre)

Um comentário:

solopoesie disse...

GENTILISSIMO SILVIO
Good day to you!!!
Ringrazio to you of your comment, but and before the time has not succeeded in tradurlo. I know only the language that is mother the Italian and English, I deduce some that me you have written an intelligent thought and kind and I would so much hold to read it to us, you could to me tradurli In English?
Thanks I embrace affectionate Linen… I waited for to You